Um divã para dois

Indicação de Vilcinéa Pereira

Um divã para dois é um filme simplesmente encantador. A riqueza de detalhes pertence a um coração sensível…

Meryl Streep e Tommy Lee Jones são Kay e Arnold, um casal de meia idade, que, ao completar 31 anos de casados, se vêem mergulhados em questionamentos sobre a sua relação de marido e mulher.

A trama começa quando Kay resolve não se conformar, resolve brigar para ser feliz. No início, uma briga solitária, mas depois de uma terapia de casal, tudo que estava adormecido vem à tona. Eles começam a se descobrir, percebendo que existe no relacionamento muita coisa não dita, muito silêncio.
Kay é a responsável por essa “sacudida” na vida dos dois, pois é ela quem propõe e paga essa terapia em outra cidade. O terapeuta, com suas perguntas e “exercícios”, cria uma atmosfera de conflitos e reflexões. Nas sessões de terapia são abordados diversos assuntos, por exemplo, o “tocar o outro” (o toque já não fazia parte da vida do casal).

A vitória de Kay, na sua luta, acontece quando ela resolve desistir. Arnold com medo de perder a esposa, pelo simples fato de não querer se expor, de preferir ficar acomodado, entende que tem que mudar suas atitudes e comportamento, em benefício dele, da esposa e do amor. Um amor maduro, onde novos prazeres são conquistados.

Anúncios

13 reasons why

Uma das séries mais comentadas do ano de 2017, 13 Reasons Why, deixou o catálogo da Netflix muito mais interessante.
A trama conta, na primeira temporada, a história de Hannah Baker, uma adolescente que, antes de cometer suicídio, envia fitas a pessoas que supostamente tem a ver com sua morte.

A série é uma adaptação do best-seller homônimo de Jay Asher, publicado em 2007. Nos 13 episódios são colocados em pauta diversos assuntos preocupantes no âmbito adolescente, como o bullying, o distanciamento dos pais, abusos sexuais e emocionais, questionamentos sobre os papéis da família, amigos e escola.

O impacto nas redes causou grande repercussão. Em apenas dois dias, já estava sendo compartilhada uma campanha no Twitter com a hashtag #NãoSejaUmPorque, nela os internautas compartilham suas histórias, como a depressão e o bullying, alertando, automaticamente, a urgência da discussão de tais temas.

Apesar de abordar temas fortes eu indico a série pois, além de ser muito bem dirigida, ela mostra assuntos muito atuais. Mesmo sendo uma série em que os fatos acontecem em uma estrutura de vida americana, no Brasil lidamos com os mesmos problemas. É fundamental que os jovens de hoje em dia, e os pais desses jovens, assistam essa série e tentem compreender a mensagem que ela quer passar.

Amy – The girl behind the name

O documentário “Amy – The girl behind the name” (A garota por trás do nome) tem um enredo impactante, pois tem como fonte uma história incrível. O filme é dirigido por Asif Kapadia, cineasta responsável pelo premiado “Senna”, que conta a história do ex-piloto de Fórmula 1 e ídolo brasileiro Ayrton Senna. O filme foi lançado em 2015 e ganhou o Oscar de melhor documentário.
amy_winehouse-4O filme mostra a história de Amy Winehouse “contada por suas próprias palavras”. Vencedora de seis Grammys, a britânica despontou para a fama mundial em 2006, com o álbum “Back to Black”. No decorrer da curta carreira, se envolveu com drogas. Em 2011, aos 27 anos, morreu vítima de uso excessivo de álcool. Considerada a precursora da Nova Invasão Britânica, Amy Winehouse é referida pelos especialistas como a responsável por desencadear a revolução na música soul dos anos 2000.

Crítica positiva
Uma história que tem Amy como protagonista já tem grandes chances de ser interessante. Quando essa história ainda conta com uma boa direção fica fantástica.

The theory of everything

O filme, baseado na biografia de Stephen Hawking, conta como o jovem astrofísico fez descobertas importantes sobre o tempo. No longa também é retratado o seu romance com Jane Wide e a descoberta de uma doença motora degenerativa quando tinha apenas 21 anos.
94036ef1-794c-4f46-91f3-ee22e1d61879É um filme de drama romântico biográfico, dirigido por James Marsh e escrito por Anthony McCarten. O filme foi inspirado na obra “Travelling to Infinity: My Life with Stephen” de Jane Wilde Hawking. No livro, Jane descreve seu relacionamento com o físico teórico Stephen Hawking e o desafio com a doença do neurônio motor.

O longa é protagonizado por Eddie Redmayne e Felicity Jones, além de Charlie Cox, Emily Watson, Simon McBurney e David Thewlis em papeis coadjuvantes. Teve sua estreia mundial no Festival Internacional de Cinema de Toronto de 2014 e foi lançado nos cinemas em 7 de novembro de 2014.

Crítica Positiva
O Oscar mais merecido no ano de 2015. Uma atuação impecável. Eddie Redmayne mostra de vez toda a sua qualidade e, finalmente, desponta para o cenário mundial.

American sniper

Sniper Americano é um filme de drama biográfico dirigido por Clint Eastwood e escrito por Jason Hall. Adaptado do livro “American Sniper: The Autobiography of the Most Lethal Sniper in U.S. Militar History”, o filme conta a história real de Chris Kyle (Bradley Cooper), atirador de elite das forças especiais da marinha americana. Durante cerca de dez anos ele matou mais de 150 pessoas, tendo recebido diversas condecorações por sua atuação na Guerra do Iraque.
banner_americansniper2Bradley interpreta o clássico texano que sonha em ser cowboy. Abalado com os atentados de 11 de setembro de 2001, ele decide se juntar às forças especiais da marinha americana e acaba servindo na Guerra do Iraque.  O filme também é estrelado por Sienna Miller, Luke Grimes, Kyle Gallner, Sam Jaeger, Jake McDorman e Cory Hardrict em papéis coadjuvantes.

Crítica de um crítico
Para o crítico de cinema Pablo Villaça “Sniper Americano indubitavelmente trata seu protagonista como um herói, jamais colocando a moralidade de suas ações em dúvida e, com isso, contribuindo para transformar em ícone alguém que não merecia sequer ser tratado como anti-herói.” Já o crítico Márcio Sallem qualificou o protagonista Chris Kyle como “Um rapaz de inteligência limitada e ignorante às nuances da guerra, porém disposto a abandonar a família e sacrificar a própria vida pelo sonho utópico (e ufanista) que lhe é vendido como real”.

Crítica positiva
O filme foi um sucesso imenso de público, faturando mais de US$ 300 milhões só nos EUA. Para terem uma ideia da força do número, isto é maior que a bilheteria somada de todos os outros sete indicados a Melhor Filme no Oscar 2015.

Crítica negativa
O livro é melhor que o filme, como acontece em vários casos. No livro existem detalhes que poderiam conter na película.

Concussion

O filme, baseado em fatos reais, que no Brasil é conhecido como “Um Homem entre Gigantes”, foi escrito e dirigido por Peter Landesman e estrelado por Will Smith. O drama narra a história do Dr. Bennet Omalu, um patologista nigeriano que lutou contra a National Football League.
poster-concussionA história do neuropatologista contra a NFL nos faz lembra a história de Davi contra Golias, devido as dimensões do acontecimento. Dr. Omalu é um imigrante americano que fez a primeira descoberta do CTE , um trauma cerebral relacionada com o futebol, e lutou para que a verdade fosse conhecida. A busca de Omalu o coloca em choque com uma das instituições mais poderosas do mundo. A NFL  usa diversos tipos de medidas para refutar as pesquisas sobre danos cerebrais sofridos pelos jogadores profissionais de futebol americano.

O filme, que também é estrelado por Alec Baldwin, Gugu Mbatha-Raw e Albert Brooks.

Crítica positiva
O filme marca o retorno de Will Smith a filmes de alto nível mundial.

Crítica negativa
As produtoras poderiam ter colocado este filme em mais salas de cinema. Uma história real tão desafiadora deveria ter sido prestigiada por mais telespectadores brasileiros.

Dead Poets Society

Em 1959, na Welton Academy, uma tradicional escola preparatória, um ex-aluno (Robin Williams) se torna o novo professor de literatura, mas logo seus métodos de incentivar os alunos a pensarem por si mesmos cria um choque com a ortodoxa direção do colégio, principalmente quando ele fala aos seus alunos sobre a “Sociedade dos Poetas Mortos”.
essa1Com o seu talento e sabedoria, Keating inspira os seus alunos a perseguir as suas paixões individuais e tornar as suas vidas extraordinárias. O filme explica que em certa altura da vida, as pessoas, em especial os jovens, devem opor-se, contestar, gritar e sobretudo ser “livres pensadores”, e não deixar que ninguém condicione à sua maneira de pensar, mas, o filme mostra também, que esses mesmos jovens devem usar sempre o bom-senso.

O longa gira ao redor dessa mensagem: Carpe diem (aproveite o dia). Pense nas suas aulas como momentos que não voltarão e se esforce ao máximo para fazer de cada encontro com os seus alunos inesquecível. Lembre-se de que você está construindo o futuro de cada estudante que entra na sala de aula.

Aproveite o filme para pensar sobre tudo e não esqueça de aproveitar a vida ao máximo.

Crítica positiva
Além de mais uma ótima atuação de Robin Williams, o mais interessante do filme é a mensagem que ele passa. Mostra aos jovens as possibilidades da vida e aos pais, desses jovens, que eles devem ter um pouco mais de parceria no dia a dia.

Crítica negativa
Em certos momentos achei o filme um pouco cansativo. Ele demora um pouco pra fechar certos raciocínios da trama.

Whiplash

O filme que tem uma atuação brilhante de J. K. Simmons, vencedor do Oscar de melhor ator coadjuvante, , conta a história de um jovem baterista (Miles Teller) que sonha em ser o melhor de sua geração. Com o treinamento do reverenciado e impiedoso mestre do jazz, Terence Fletcher (J.K. Simmons), o músico começa a ultrapassar todos os seus limites, inclusive tomando atitudes que jamais pensou que tomaria.
la-et-mn-whiplash-review-20141010O filme foi precedido por um curta-metragem homônimo de dezoito minutos, com Johnny Simmons (sem relação com J.K Simmons) no papel de Andrew. O curta recebeu o prêmio do júri de melhor curta-metragem do Festival de Sundance de 2013. Obteve apoio do programa de longa-metragem do Instituto Sundance e do SAG para a produção do longa-metragem, que contou com Jason Reitman como um dos produtores executivos. Apresentado no mesmo festival, em 16 de janeiro de 2014, foi premiado com os prêmios da audiência e do júri. Seus direitos foram adquiridos pela Sony Pictures Classics.

O longa é ambientado em Nova Iorque, porém gravado em locação em Los Angeles. “Caravan” de Juan Tizol e “Whiplash” de Hank Levy são as duas composições citadas e executadas. Há traços autobiográficos no roteiro escrito pelo diretor, que também foi um estudante de bateria e sofreu com a rudeza de um professor.

Crítica positiva
“Whiplash – Em Busca da Perfeição” (título brasileiro) não é precisamente um filme sobre jazz, mas é um longa que irá encantar os apaixonados por música. É uma obra sobre a busca da perfeição e os limites que as pessoas estão dispostas a atingir para alcançar suas ambições.

Still Alice

Para sempre Alice é um filme de drama, baseado no romance homônimo, de Lisa Genova, dirigido e escrito por Wash Westmoreland e Richard Glatzer.
o-julianne-moore-still-alice-facebook

O drama conta a história da dra. Alice Howland (Julianne Moore), uma renomada professora de linguística que, aos poucos, começa a esquecer de certas palavras e se perder pelas ruas de Manhattan. Ela é diagnosticada com um tipo raro de Alzheimer. A doença coloca a renomada doutora em uma prova de força, onde sua família é um ponto fundamental de ajuda.

Enquanto a relação de Alice com o marido, John (Alec Baldwinse), se fragiliza, ela e a filha caçula, Lydia (Kristen Stewart), se aproximam.

A atriz protagonista do filme ganhou praticamente todos os prêmios em que concorreu, inclusive ao Oscar de melhor atriz. O longa retrata e documenta de forma clara a evolução médica de um complicado quadro clínico.

Crítica positiva
A performance brilhante da atriz Julianne Moore. Atuação com viradas incríveis.

Crítica negativa
Para quem leu o livro, existe a falta de algumas características da história. O livro é mais completo.