A positividade de Sana

Distrito de Macaé, o vilarejo de Sana esbanja paz e positividade. No lugar, além de calmaria e diversão, encontramos um contato íntimo com a natureza, através do famoso circuito das águas, pertencente a Área de Proteção Ambiental do Sana, e a pesada trilha do Peito do Pombo.

Arraial do Sana é bem pequeno, dá para ser percorrido, tranquilamente, a pé, ou seja, é um lugar fácil de se montar um roteiro. Exatamente por esse motivo já chegamos no local bem determinados a fazer o que planejamos: conquistar tudo que pudéssemos em um só fim de semana.
Começamos nossa empreitada indo em direção ao circuito das águas. Para chegar até o início dessa leve trilha, é preciso atravessar uma pequena ponte, andar alguns minutos por uma estradinha de terra, passando por um estacionamento pago, até a guarita de entrada. Nesta guarita o visitante terá que se registrar e pagar um valor de R$10,00 para poder seguir pelas cachoeiras.

Depois de pagar, irá andar poucos minutos e avistará a primeira bifurcação, com uma placa indicando o caminho que leva a Cachoeira do Escorrega. Este tobogã natural ficou muito popular devido a diversão que proporciona e sua acessibilidade a todos os públicos. Como é um local que não oferece grandes riscos, muitas famílias frequentam esta cachoeira.

Já escorregou bastante? Então vamos retornar a trilha principal e seguir adiante. O caminho se torna uma subida um pouco mais íngreme e escorregadia. Em poucos minutos irá aparecer uma segunda bifurcação. Para continuar no circuito das águas o visitante deverá virar à esquerda, passar um portão de madeira e seguir a trilha atravessando um rio. Observe bem as setas indicativas e muito cuidado ao atravessar o rio sobre as pedras.

Passando pelo rio, a trilha vira uma subida um pouco mais íngreme e fica mais fechada. Em pouco tempo de caminhada você irá encontrar uma descida, à direita, que leva ao poço da Cachoeira Mãe (tem esse nome por ser possível visualizar o rosto de Nossa Senhora na queda d’água). Será preciso descer pela rocha com auxílio de uma corda. Lá embaixo tem um bom ambiente onde as pessoas ficam relaxando. Algumas pessoas saltam do alto da rocha direto no poço.
Voltando à trilha, você deverá subir mais um pouco para encontrar a Cachoeira Pai. Uma queda d’água de aproximadamente 15 metros caindo direto num poço bem fundo. Nesse poço também é possível saltar, mas tenha cuidado, já ocorreram acidentes no local, então pergunte aos funcionários se a cachoeira está em condições apropriadas para saltos. Do poço da Cachoeira Pai se tem acesso à Cachoeira Filho. As pessoas costumam descer escorregando por ela até o poço mais abaixo.

Mais à frente, após a Cachoeira Pai, chegamos a última cachoeira: a Cachoeira Sete Quedas. Esta cachoeira é composta por uma queda d’água que segue por 7 degraus em harmonia com a natureza. Essa cachoeira, juntamente com as cachoeiras do Pai, Mãe e Filho, formam o Circuito das Águas. Passando por esta cachoeira, é possível atravessar o rio e subir por uma trilha curta, no meio da mata, que leva até a trilha do Peito do Pombo. Apesar dessa boa possibilidade, preferimos retornar e deixar para fazer esta outra trilha no dia seguinte, bem cedo, com mais calma.
No domingo, assim que o sol nasceu, nos arrumamos e partimos para a trilha do Peito do Pombo, seguindo o caminho sem passar pelas cachoeiras e sem ter que pagar nenhuma taxa. A exaustiva trilha levou cerca de 5h20, ida e volta, e nos presenteou com uma linda vista lá do alto. Posso dizer que essa trilha, de 1400 metros de altitude, merece ser conquistada por todos que passarem pela região. Para quem quiser saber mais detalhes sobre a minha experiência sobre esta trilha é só clicar neste link.
Foquei mais em lhe contar sobre os passeios naturais, até porque é o que tem de melhor no local. Mas saiba que tudo em Sana respira boas vibrações, isso vai da natureza as pessoas, por isso que curto tanto está por lá.

Como chegar

Carro: Chegando em Casimiro de Abreu, o motorista deve seguir pela BR-142, subindo a serra no sentido Nova Friburgo e desviar para Barra do Sana, pegando a Estrada Frade-Sana, passando pelo Portal do Sana, na ponte da Amizade (que cruza o Rio Macaé), até o Arraial do Sana. A Estrada Frade-Sana é uma estrada de terra em péssimas condições, com muitos buracos e pedras. É curta. Tem em torno de 6 km de extensão apenas, mas exige bastante atenção do motorista pra não danificar o carro.

Ônibus:
Chegar de ônibus na região é relativamente fácil, apesar de cansativo. Basta pegar um ônibus para Casimiro de Abreu, saltar na rodoviária, e depois pegar um ônibus direto para Sana, eles passam de 2 em 2 horas. Tenha cuidado para não chegar muito cedo para não ficar mofando e nem muito tarde para não perder o último bus.

Anúncios

A natureza reina em Teresópolis

Localizada no interior do Rio, Teresópolis mostra, com todo seu charme, a harmonia e beleza de uma natureza bem conservada. Em toda sua extensão (repleta de rios, cascatas e rica flora e fauna), dou destaque ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos, uma unidade de conservação situada no maciço da Serra dos Órgãos, que também abrange os municípios de Guapimirim, Magé e Petrópolis.

Sem dúvidas, é um dos melhores parques do país para a prática de esportes de montanha, como escalada, caminhada, rapel e outros. O Parque tem a maior rede de trilhas do Brasil, são mais de 200 quilômetros de trilhas em todos os níveis de dificuldade: desde a trilha suspensa, acessível até a cadeirantes, até a pesada Travessia Petrópolis-Teresópolis, com 30 Km de subidas e descidas pela parte alta das montanhas.
Entre os passeios disponíveis na parte pertencente a Teresópolis, destaco as 4 trilhas que mais gostei:

  • Trilha Suspensa
    Esta famosa trip tem um caminho bem tranquilo de ser percorrido, tendo apenas 1300 metros de caminhada reta. A trilha, iniciada na Praça da Barragem, possui piso de madeira e corrimão, permitindo acesso até a cadeirantes. No trecho final a trilha atinge grandes alturas em relação ao solo (até 8 metros) e permite belas visões da floresta e dos paredões.
  • Trilha Mozart Catão
    É mais uma trilha leve , que nos leva até Mirante Alexandre Oliveira, com vista para a cidade de Teresópolis e o Parque Estadual dos Três Picos, ao fundo. Uma curiosidade é que os nomes da trilha e do mirante é uma homenagem a dois alpinistas da cidade, mortos ao tentar escalar a face sul do Aconcágua, em 1998.
  • Trilha Cartão Postal
    Esta bela trilha, com acesso pela Estrada da Barragem próximo à pousada, cruza área de floresta com belas vistas da montanha e dá acesso a um mirante voltado para a cadeia de montanhas da Serra dos Órgãos, proporcionando ao visitante um novo ângulo de observação do Dedo de Deus do meio da floresta. No caminho é possível observar algumas grandes árvores, como o jequitibá. Apesar de ter apenas 1200 metros alguns consideram esta trilha moderada, pois é uma subida constante em uma escada natural.
  • Trilha da Pedra do Sino
    A Pedra do Sino é o ponto culminante da Serra dos Órgãos com 2.275m e lá do alto a vista alcança toda a Baía de Guanabara, a cidade do Rio de Janeiro e parte do Vale do Paraíba, no lado continental. São cerca de 11 km (cinco a seis horas) de caminhada desde a sede do Parque, em Teresópolis, a 1.100 metros de altitude, até o cume. O primeiro trecho é mais leve, por dentro da mata. Na parte final, a trilha é acidentada.

Para mais informações e detalhes sobre outros passeios acessem o site do parque.

 Preços?

Quando ir?
Todos os dias, das 8h às 17h (todas as sedes). É permitida a entrada no parque entre 6h e 8h e entre 17h e 22h, mediante compra antecipada de ingressos.

Como chegar?
A entrada principal do Parque Nacional da Serra dos Órgãos fica na área urbana de Teresópolis, na Avenida Rotariana s/nº (que interliga a BR 116 Rio-Bahia, na altura do km 89,5 à cidade), com acesso bem sinalizado. A entrada do parque fica ao lado da ponte sobre o Rio Paquequer, na entrada da cidade, próximo ao Mirante do Soberbo e ao Portal da Cidade.

Na BR 116, sentido Rio-Teresópolis, na altura de Magé, existe a praça do pedágio administrado pela CRT, com cobrança bidirecional. Há cobrança de pedágio também no sentido Teresópolis-Magé-Teresópolis.

Uma ilha chamada Paquetá

Paquetá: aquele cantinho no meio da Baía de Guanabara que, depois de horas de barca, lhe permite curtir um pouco de um passeio tranquilo. Assim resumo esse bairro. Apesar de gostar do lugar e de seus atrativos rústicos, afirmo que tem que ter bastante disposição para ficar 1 hora e 10 minutos dentro de uma barca para chegar até lá. No meu caso, que não moro na cidade do Rio, demoro mais tempo ainda para chegar.

Mirante do Parque Darke de Mattos

Para compreender o que estou dizendo, vou começar esse post explicando o que se deve fazer para chegar no local. Primeiramente, você tem que ir para a estação das barcas na Praça XV, pois é o único lugar que sai barcas para Paquetá. Se no seu caso você mora em Niterói, São Gonçalo ou ainda mais distante, assim como eu, o seu primeiro passo é pegar a barca de Niterói para o Rio, que dura cerca de 25 minutos de viagem. O processo é bem simples, é só ver no site da CCR Barcas os horários e assim segui-los. A parte mais cansativa do passeio é essa! Ficar esse tempo todo dentro de uma barca, tanto para ida quanto para volta.

Chegando no local, o passeio começa enfim a ficar um pouco mais interessante. Você terá algumas possibilidades de passeios, destaquei os que mais me interessam abaixo:

1 – Passeio de quadrículo ou pedalinho, para quem quiser relembrar a infância.
2 – Visitar a Pedra da Moreninha. Lugar que ficou famoso devido ao livro de Joaquim Manuel de Macedo, escrito em 1843. O romance “A Moreninha” é considerado o iniciador do “romantismo” na literatura brasileira.
3 – Conhecer o Parque Natural Municipal Darke de Mattos. O meu ponto preferido de Paquetá. É um ponto que da pra fazer piquenique e passear em família. Além disso, conta com um mirante de pedra bem interessante que dá uma vista linda.

Pedra da Moreninha

Além das coisas que destaquei, você também pode simplesmente dar uma volta na cidade ou parar em um dos bares e “tomar uma” com os amigos. Como disse, é um lugar bem calmo, então você pode ir só para desfrutar isso. É um ponto turístico que tem que ser visitado pelo menos uma vez na vida. Vá em família!

Outono no centro de Nova Friburgo

Frio… Outono… Friburgo. Este município localizado na Mesorregião do Centro Fluminense, nos permite vivenciar as peculiaridades da natureza e a culinária de bons restaurantes.

A cidade não é somente a capital nacional da lingerie. Ela também conta com uma gama de passeios e atividades que levam a cachoeiras, riachos, mirantes naturais e reservas ambientais. Como citei na parte superior, a gastronomia diversificada também merece uma atenção especial.

Infelizmente só tinha um dia de folga (=/), então fui para lá buscando encontrar possibilidades de passeios que agradasse toda a família em um só dia.  O roteiro ficou mais ou menos assim:

Pela manhã fomos direto para Olaria, em busca de comprar peças íntimas por bons preços. Logo depois, disparamos para a Praça do Suspiro que, além de contar com o letreiro de Nova Friburgo, tem o famoso teleférico de mais de 1500 metros de altura. Para almoçar escolhemos o Chimarron, rodízio de carne bom, bonito e barato. E para fechar o dia em meio à natureza fomos para o Country Club, um dos pontos mais belos da cidade e que tem entrada gratuita.
Foi um passeio rápido pelo centro da cidade e já deu pra curtir bastante coisa, imagina com mais tempo !? Logo logo farei novos post’s falando sobre as trilhas, os parques de Cascatinha, Jardim do Nego e também sobre a famosa Lumiar. Não daria para citar tudo em um post só. Mas fica aqui a minha dica para curtir o friozinho em boa companhia.

Country Club

Paraty: um centro de histórias e aventuras

Chegou o dia de levar mamãe para viajar. E o destino escolhido, por ela, foi Paraty.

Busquei encontrar formas de fazer todos os passeios, mas de um jeito menos desgastante, pois não queria matar minha coroa (rs). Então para quem estiver lendo, saiba que irei citar algumas formas possíveis de fazer os passeios, sendo que as que eu utilizei foram as formas mais práticas e tranquilas.

Paraty é uma cidade do litoral sul do Rio de Janeiro. Um cantinho de calmaria, muitas praias e muita cultura. Aquele lugar que te faz sentir como estivesse vivendo cenas de novelas ou filmes.
16406467_1240493749365089_3678167740395109628_nOpção de ônibus
Existem várias opções de horários de ônibus, da viação Costa Verde, saindo de Niterói ou do Rio de Janeiro. A viagem dura cerca de 4/5 horas.

Opção de hotel
Pensando em um lugar barato e que ficasse perto do centro histórico da cidade, escolhemos o Paraty Hotel. Os pontos ruins do hotel são as camas, que são bem desconfortáveis, e a troca dos lençóis que nunca acontecem. Para o que necessitávamos o hotel foi ótimo, pois chegávamos em tudo com bastante facilidade.

Opção de agência de passeio
Escolhemos a Paraty Tours. Fomos muito bem atendidos e todos os passeios ocorreram da forma que foram pré-estipulados. Só temos elogios a agência e a recomendamos.

ROTEIRO:

QUINTA
Reservamos este dia para nos acomodarmos no hotel e fazermos uma caminhada tranquila pela cidade.

Neste dia conhecemos o Centro Histórico de Paraty, que foi erguido entre os séculos 17 e 19, e está localizado entre o Rio Perequê-Açu e a Baía de Paraty. Ele é formado por casarões coloniais e igrejas. Carros não podem trafegar pelas ruas, que mantém seu calçamento em pedras. É um lugar que tem um visual deslumbrante. Conhecemos também a Praia do Pontal e o Forte Defensor Perpétuo. Dá para chegar facilmente do centro histórico até a praia e o forte, é só atravessar uma pequena ponte e seguir as placas turísticas.

SEXTA
Foi o dia de nos aventurarmos no Jeep tour pelas cachoeiras e alambiques. Neste passeio indico fazer com alguma agência, pois as cachoeiras ficam distantes e tem bastante pedra e lama pelo caminho, irá prejudicar bastante o seu carro.

ALAMBIQUES
Há sete alambiques principais na cidade. O único que resolvemos conhecer foi o Pedra Branca. O valor para o tour guiado é de R$3,00. A experiência é divertida, além de dar a oportunidade de provar muita cachaça de uma vez só (rs). Segue abaixo informações sobre os outros alambiques:
Maria Izabel: Rio-Santos, Km 568 (direção Rio). Agendamento pelo telefone: (24) 99999-9908
Engenho d’Ouro: Estrada para Cunha, Km 8. Tel: (24) 99905-8268
Coqueiro: Rio-Santos, Km 583 (direção Ubatuba). Tel (24) 3371-0894
Paratiana: Estrada da Pedra Branca, Km 1. Tel (24) 3371-6329
Pedra Branca: Estrada da Pedra Branca, Km 1. Tel: (24) 97835-4065
Maré Cheia: Estrada do Jacu. Tel (24) 3371-9377
16473852_1238698016211329_5821134148382112508_nCACHOEIRAS
Nesta imagem você pode conferir as cachoeiras da cidade:
not_med_0000002230Destas destacadas, conheci a Cachoeira da Pedra Branca, do Tobogã, da Usina e a do Tarzan. Apesar da mais famosa ser a do Tobogã, por causa do surf na pedra, a que eu mais gostei foi a Cachoeira da Pedra Branca, pois, além dela contar com dois saltos de cinco metros de altura, nela podemos encontrar pequenas piscinas e duchas naturais, que deixa o clima mais divertido.

SÁBADO
A famosa Vila de Trindade realmente supera as expectativas. Nela podemos encontrar pequenas lojinhas, bons restaurantes e praias maravilhosas. Esse passeio da pra fazer sem agência. Pode-se chegar facilmente no local de carro ou de ônibus.
2Destaco:

Praia Brava
A praia fica logo no início da estrada de Trindade. A trilha dura cerca de 30 minutos e é cercada de Mata Atlântica.

Praia do Cepilho ou Praia de Fora ou Praia dos Ranchos
É uma praia dividida em três partes, em cada parte ela tem um nome diferente. Na parte mais movimentada, a preferida dos surfistas, é conhecida como Cepilho. A Praia de Fora é uma ligação entre as praias do Cepilho e a dos Ranchos. E a praia dos Ranchos é a parte mais tranquila, onde geralmente ficam as famílias.

Praia do Meio
Esta é a praia mais famosa e cheia de Trindade. Seu acesso é tranquilo. É por ela onde podemos fazer a trilha para chegar no Cachadaço ou pegar o barco para ir direto para a Piscina Natural. Nesta praia também existe a possibilidade de passear de stand up ou caiaque.

Praia do Cachadaço
É a praia mais bonita de Trindade e também a mais perigosa. Pela praia pode-se observar diversas bandeiras vermelhas, avisando sobre os perigos do local. Para chegar até ela é preciso pegar uma trilha, que começa na Praia do Meio, subindo a encosta. A trilha é bem tranquila com corrimão de madeira e degraus feitos com pedras e raízes de árvores. São cerca de 15 minutos de trilha sem grandes obstáculos, mas cuidado com os dias chuvosos, pois o local fica cheio de lama.

Piscina Natural
Para chegar a Piscina Natural é necessária fazer mais uma trilha. Achamos essa trilha uma pouco mais difícil que a anterior. A trilha dura cerca de 20 minutos mata adentro. Como já foi citado, também é possível chegar ou sair deste local de barco. O barco tem o valor de R$30,00 (para ida e volta) ou R$15,00 (para quem deseja apenas a volta).


DOMINGO
Para fechar o passeio em alto nível, fomos passear de Escuna. Existem diversos tipos de circuito, escolhi o que passa pela Ilha Comprida, Praia da Lula, Lagoa Azul e Praia Vermelha. Além de ser o circuito mais famoso é o que tem mais elogios pela web.

Foi uma viagem inesquecível. Viajar em família pode ser tão bom quanto viajar com amigos ou namorada (o), basta você se permitir a essa possibilidade. Curta a sua família, aproveite os momentos bons!

Vila de Maromba (Itatiaia)

A Vila de Maromba, que pertence ao município de Itatiaia, é um lugar com pouca estrutura comercial, porém conta com belezas naturais impactantes. A vila é famosa por três cachoeiras: o poção, o véu da noiva e o escorrega.

Poção da Maromba
airbrush_20161115152751
O poço, que tem 7 metros de profundidade, é formado por uma grande queda d´água. Uma pedra serve de trampolim natural para o mergulho na piscina, mas é preciso ficar atento à correnteza e à grande profundidade.

Cachoeira do Escorrega

whatsapp-image-2016-11-16-at-23-17-35
Escorregar no tobogã natural de 30 metros é um programa clássico na vila. O poço formado pela cachoeira é indicado para banhos, apesar da água gelada. Tenha cuidado, em dias de chuva forte, pois o local fica perigoso para escorregar.

Véu da Noiva
blog
A cachoeira tem 15 metros de queda e forma uma piscina natural, mas poucos mergulham em função da falta de sol. O acesso é fácil – apenas cem metros de caminhada por trilha.

Em relação a alimentação, em Maromba, deve ficar atento aos preços, não é um local nem caro e nem barato. O alimento mais famoso de lá é a Truta, então não deixe de provar.

Como chegar?
Fica a 212 km do Rio de Janeiro e a 304 km de São Paulo, a vila tem como seu principal acesso à rodovia Nova Dutra. Basta pegar a saída do km 311, no trevo de Penedo, e percorrer mais 40 km até Maromba. A maior parte do trecho é asfaltado, somente na vila que vira estrada de terra. De ônibus, é preciso ir para Resende e pegar o ônibus, da viação Resendense, com destino a Maromba. Fique ligado, pois são poucos ônibus e como horários bem distintos.

Petrópolis: o lado imperial do Rio

Aproveitando o friozinho do inverno e que estava acontecendo o Bauernfest, resolvi ir para Petrópolis. Além de curtir a festa, também busquei conhecer um pouco mais da cidade histórica. Lá pode ser encontrada muitas das construções da época em que Dom Pedro II passava longas temporadas no destino. Muitos centros culturais funcionam em antigos palacetes e casarões do século 19. O Ministério da Saúde adverte: O frio de Petrópolis nos faz comer muito =x
13534547_1127788817243590_1897205136_nUm pouco dos lugares que conheci:

Museu Imperial
untitled-2-01
O Museu Imperial é um museu histórico-temático localizado no centro histórico da cidade de Petrópolis. Está instalado no antigo Palácio de Verão do imperador brasileiro Dom Pedro II. No lugar podemos encontrar um arsenal de quadros, mobiliários e joias da família imperial. Além disso, o lugar também conta com um ótimo jardim para fazer piquenique ou relaxar. O horário para visitação é de terça a domingo, das 11h às 18h, e os ingressos custam inteira: R$10,00 e Meia: R$5,00. A única coisa ruim do lugar é o fato de não podermos tirar nenhuma foto na parte interna do museu.

Catedral de Petrópolis

untitled-21-01
A Catedral é dedicada a São Pedro de Alcântara, padroeiro da cidade e da Monarquia Brasileira. Local certo de parada de todos os visitantes, religiosos ou não. Todo mundo quer tirar uma boa foto da linda estrutura, tanto de dia quanto de noite.

Museu Casa de Santos Dumont

untitled-22-01
O local, bem pequenino, foi residência de verão de Alberto Santos Dumont, Pai da Aviação, sendo conhecida como “A Encantada”. O museu conta com acervo de objetos, livros, cartas e mobiliário, bem como o chuveiro e a escada de entrada, com degraus em forma de raquete, que só se pode acessar começando com o pé direito. No Centro Cultural 14 bis, anexo à Casa, pode-se assistir a um curta metragem sobre Santos Dumont. O espaço tem acessibilidade e maquetes táteis para visitantes com necessidades especiais. A visitação do lugar acontece de terça a domingo, das 9h às 17h30 (bilheteria até as 17h). Ingressos: R$8,00 (inteira) / R$4,00 (meia entrada).

Cervejaria Bohemia

untitled-233-01
A Cervejaria Bohemia, fundada pelo alemão Henrique Kremer em 1853, é a primeira cerveja pilsen a ser produzida no Brasil. Apelidada pela família real de “Ouro liquido” pelo seu sabor apurado, se tornou uma marca da cidade de Petrópolis. O espaço mostra aos visitantes de forma interativa e lúdica a história, ritos, mitos e curiosidades. O complexo da Cervejaria Bohemia contempla produção in loco de suas variantes: Weiss, Escura, Confraria e Pilsen e de edições especiais da marca. Além disso, terá sempre em primeira mão para degustação dos visitantes várias criações do Mestre Cervejeiro exclusivo de Bohemia antes delas irem para o mercado. O horário de funcionamento ocorre às terças, quartas e quintas, das 13h às 16h30. Sextas, das 10h às 16h30. Sábados, domingos e feriados nacionais: das 10h às 18h30. A entrada custa R$ 27 (inteira) | R$ 13,50 (meia). Fato importante: eu, com minhas manias esquisitas, tenho costume de guardar algo de todo lugar que vou, então algo legal para guardar desse lugar é a garrafinha de cerveja personalizada.

Palácio de Cristal
img-20160626-wa0009
O Palácio tem a visitação guiada aberta, de forma gratuita, de terça a domingo, de 09h às 18h, e aos sábados conta com apresentações de danças folclóricas alemãs, a partir de 15h. Sua estrutura pré-moldada em ferro foi encomendada a uma fundição francesa pelo Conde D’Eu, sendo montada em Petrópolis pelo engenheiro Eduardo Bonjean. Foi inaugurado em 1884 com a finalidade de abrigar as já tradicionais exposições de produtos hortícolas e pássaros da região, que aconteciam em instalações provisórias no local. No Palácio, em abril de 1888, com a presença da Princesa Isabel foram libertados os últimos escravos de Petrópolis, em uma bela festa. Hoje recebe eventos culturais e exposições diversas.

Bauernfest (Para fechar com chave de ouro)
img-20160626-wa0028
Participei da 27ª edição da Festa do Colono Alemão de Petrópolis. A atração é a segunda maior do gênero no Brasil, o evento resgata as raízes germânicas da cidade com a chegada dos primeiros alemães em 1845. Marcada por muita dança e música folclórica, culinária típica e atrações culturais, a festa é a maior da cidade.

A dica é ir na época da festa, rodar os museus durante o dia e curtir a festa durante o período da noite.

 

 

Santa Teresa (RJ)

O bairro de Santa Teresa fica no alto de uma colina recortada pelos trilhos do bondinho elétrico, que voltou a circular gratuitamente de segunda a sábado, das 11h às 16h. É um local repleto de largos e espaços culturais, que conta também com sobrados que abrigam ateliês, lojinhas de artesanato, bares e restaurantes. Um lugar multicultural.

Além do bonde, existe outra forma de chegar e descer do local que é muito popular. Essa é para quem opta por chegar até lá a pé e quer ter a oportunidade de conhecer a mais famosa escadaria da cidade – a Selarón, com 215 degraus recobertos de mosaicos de cerâmica nas cores verde, amarelo e azul. A escada foi batizada com o nome do artista plástico chileno que assina a obra. São 125 metros de escadaria.
dsc_0668Chegando lá a dica é ir direto pro Parque das Ruínas, casarão onde morou Laurinda dos Santos Lobo, é o ponto mais famoso do local, ou seja, é o que fica mais lotado. O lugar além de uma estrutura fascinante, conta também com sala de exposições, auditório para 100 pessoas, um palco de 88 metros quadrados, e cafeteria, que funcionam sob programação especial.
blog-01Do parque vá caminhando para o Museu da Chácara do Céu, bem ao lado (bem pertinho mesmo rs). A entrada custa apenas R$2 e ali está a coleção particular do empresário Raymundo Ottoni de Castro Maya, que morava no local, redesenhado em 1954 em linhas modernistas integradas a um jardim de onde também se avista em 360 graus a Baía de Guanabara.
blog-2-01E para fechar o passeio com chave de ouro vá para o Largo dos Guimarães, lá é o point gastronômico do bairro. A minha dica para esse momento é o Bar do Mineiro, ele é ótimo! Mas o bar já está bem popular, então a chance de estar lotado é bem grande. Antes de decidir verifique todas as possibilidades, são muitas.

Conhecendo Guapimirim (RJ)

Primeiro, gostaria de iniciar o texto falando que, mesmo com pouco tempo de passeio, fiz grande amigos na cidade. Isso foi o que achei mais incrível na viagem, a boa forma em que fui tratado. Como sempre dou muito valor as pessoas, venho destacar a hospitalidade do Rafael e da Amanda que o tempo todo foram sensacionais comigo.

Agora falando dos passeios…

A aventura começou junto com um receio: a chegada de um possível temporal! Estava muito nublado, mas como não sou feito açúcar fui sem pestanejar. Chegando ao local fomos nos organizando e no final tudo deu certo. Fiquei na cidade 4 dias e fiz esses passeios abaixo:

Túnel dos escravos
É um túnel subterrâneo que teria sido feito por escravos há aproximadamente 300 anos. Na propriedade onde ele se encontra também é possível ver muitos tijolos maciços espalhados, além de um muro centenário feito com pedras de rio perfeitamente encaixadas, sem nenhum tipo de concreto (conforme as construções antigas).  Além disso, no local podemos contar com as declarações sobre a história do lugar, informações de quem teve os avôs ou pais que viveram no tempo da escravidão. A parte mais legal do passeio é exatamente essa, o diálogo com os moradores.
11934524_878479205566547_8893088599151966650_oCity tour
Um passeio ecológico cultural com paradas em lugares com belas paisagens, ruas de chão, trilhas e cachoeiras. A proposta do passeio é o aprendizado, descobrimos diversas informações de inúmeros lugares. Incríveis histórias sobre o bairro Cotia (antiga Fazenda Santa Constança), o Esporte Clube Central, a Estação Ferroviária, a Capela de Sant’Ana, a Estrada Imperial, a Capela Nossa Senhora da Conceição, a Ponte Velha, a Casa Bernadelli e vários outros pontos repletos de curiosidades e lendas. Vale destacar a parada para comer uma deliciosa tapioca.

Nesse passeio também aconteceu 2 fatos sensacionais e possivelmente os mais marcantes, ter conhecido a Vânia (muito divertida) e o Juninho, e ter visitado a casa do Eduardo, que além de ser um cara muito inteligente e receptivo, nos mostrou a sua criação de abelhas, seu gavião carrapateiro, sua criação de gansos, seu trabalho na parte de cultivação de morangos silvestres, e muito mais.
10505588_878478915566576_1300343154822914420_nCavalgada
A cavalgada é feita por uma trilha com direito a ruas de chão, morros, rios, entre outras paisagens. O mais emocionante do passeio é a oportunidade de se sentir livre, controlando o cavalo por diversos cantos. Apesar de todas a liberdade, o passeio conta com um especialista te acompanhando de perto.
12002581_878479238899877_2259927859525959280_oPantanal Fluminense e Observação de Golfinhos
O passeio conta com a travessia dos rios Guapimirim e Guaraí, e com a contemplação dos mais diversos tipos de aves do Pantanal Fluminense. Nesta região também é possível observar o boto-cinza, também conhecido como tucuxi, pirajaguara e boto-preto. É um boto que tem o hábito de viver em grupo. É muito sociável.
12006678_878479345566533_1279419826432009605_oRapel nas Cascatas do Garrafão
A cascata conta com uma trilha de aproximadamente 25 minutos que leva os turistas as nascentes, quedas d’água, cachoeiras ainda inexploradas e até a uma pequena hidrelétrica desativada.  Além de contemplar todas essas maravilhas da natureza o viajante ainda pode fazer um incrível rapel de 30 metros de altura em meia às águas do rio Iconha. Para mais informações sobre o rapel acesse o link com a matéria no Blog: https://trilhandooficial.wordpress.com/2016/12/26/rapel-nas-cascatas-do-garrafao-guapimirimrj/
ecd95b9c-3870-4c9d-a209-ef921350c48aPeripécias
Toda viagem que eu vou sempre acontece algum fato meio louco. Resumindo posso dizer que não sou a pessoa mais sortuda do mundo, mas talvez seja isso que faça as minhas viagens serem marcantes. Em Guapimirim, além do tempo me pregar algumas peças, também aconteceu algo ainda mais marcante: voei do cavalo (risos). Algo que comprovadamente nunca aconteceu no local, acho que o bicho não foi muito com a minha cara. Na primeira vez que andei a cavalo já fiquei super experiente: já aprendi como andar e como cair. Como meu pai dizia “só se aprende caindo”, então posso dizer que tive um grande aprendizado (rs), além de ter terminado o passeio ao estilo Tarzan, de cueca (rs). Obs: Não aconteceu nada grave e todos foram muito atenciosos comigo.

Dicas
Aproveite para fazer todos esses passeios, como eu fiz, num só fim de semana ou feriado prolongado. Outra ideia, é que você se “solte” para conhecer as pessoas da cidade, todos tem muita histórias legais para contar.

Para mais informações sobre as programações da cidade acesse o site http://visiteguapimirim.com.br/, lá você pode entrar em contato com a agência Guapimirimtur.

Penedo (RJ)

Penedo está localizado às margens da Rodovia Presidente Dutra (BR-116) que liga o Rio de Janeiro a São Paulo. Além de ser uma das mais belas paisagens do país, o vilarejo oferece uma vasta e variada rede hoteleira, restaurantes de alta qualidade, lojas de artesanato e um comércio local diversificado. É ideal para quem quer ir relaxar e esquecer os problemas, também é ótimo para passeios românticos.
10450927_655220321225771_460727609587513316_nPasseando pela cidade você pode viver alguns momentos agradáveis visitando o parque “Pequena Finlândia” que reproduz fielmente uma pequena cidade finlandesa. Inclusive no local você pode falar com o próprio Papai Noel, é só visitar a “Casa do Papai Noel”. Os museus raramente abrem, então não vá contando com esse passeio.  Os restaurantes e as fábricas de chocolate são os principais destaques da cidade, a comida é ótima, os chocolates são muito saborosos e os melhores restaurantes são os alemães.

Na cidade você também pode realizar passeios pela natureza, é só ir visitar o Pico do Penedinho. Uma trilha de cerca de 600 metros de extensão leva o turista ao topo do pico, de onde se pode avistar não só Penedo, como também as regiões vizinhas (centro de Itatiaia e Resende), além da Parte Baixa do Parque Nacional de Itatiaia. Penedo conta também com cachoeiras acessadas por trilhas menores.

Dicas
No período da noite a cidade praticamente não tem programação, então caso você esteja acompanhado (a), compre bastante comida e vá para o quarto aproveitar o friozinho debaixo das cobertas.

Os táxis da cidade tem preço fixo, qualquer lugar dentro da cidade que você queira ir será o mesmo preço. Na época em que fui esse valor era de R$20,00.
10431465_655220314559105_5355128171708824418_n