Um bom lugar

Amanheceu…olhei para o celular que estava ao meu lado e vi que se aproximava da hora de sairmos.
Levantei, peguei uma sacolinha preta (muito utilizada nessas ocasiões) e comecei a colocar tudo que iria precisar para o passeio com meu filho: Sombrinha, dipirona, remedinho para gases, um rolo de papel (aquele que todos nós usamos diariamente…rss), carteira, celular, uma garrafinha d’água (essa não podia faltar).

Antes de relatar o passeio, não posso deixar de colocar essa observação: Sair com alguém do sexo masculino que mora com você, seja filho ou marido, a cena sempre será a mesma, a pessoa vai acordar bem mais tarde que você, vai se arrumar rapidinho e vai te perguntar com uma expressão de “não estou entendendo”: – Ainda não está pronta? (poderia dizer que acordei cedo, fiz café, lavei louça, passei…melhor não…rss). Sem argumentos, só pedi pra dar uma última ida no banheiro. E lá fomos nós.

O tempo estava ótimo para o passeio, acertamos ao escolher aquele domingo, nosso programa era ao ar livre e nosso destino era o Parque Lage. Ao chegar, me deparei com um lugar simples e agradável. Era lindo de se vê  aquela estrutura antiga, com um gramado onde crianças, idosos, jovens, simplesmente contemplavam a natureza, “curtindo”cada um à seu modo, aquele dia de céu azul. Eu, por minha vez, sentada com meu filho em um dos bancos, tentava fazer selfies. De um lado do gramado, estavam algumas moças fazendo bordados, como que esquecidas no tempo, de outro uma moça que desenhava a paisagem sem perceber que ela com sua beleza peculiar poderia fazer parte do seu desenho, tamanha era a proximidade dela com aquela beleza em sua volta.

Um lugar calmo e sereno que me trouxe a memória boas recordações, como a lembrança do filme “Um lugar chamado Notting Hill”, onde a simplicidade, o amor, se traduziu na última cena.

Em resumo, apreciei o passeio dessa forma, e ele foi assim, bom e prazeroso, não usei os medicamentos, nem a sombrinha, não usei nada, só bebi a água da garrafinha. Pegamos o “Bus” e voltamos para casa com a sensação gostosa de ter ido em um bom lugar.

Anúncios

Parque Lage: um lugar de beleza genuína

O Parque Lage é uma grande área verde do Rio de Janeiro, com um belo palacete ao centro. Os jardins frontais são gramados e os laterais compostos de imensa floresta entremeada por plantas e flores, por onde se passeia por caminhos pitorescos, passando por uma pequena ponte, ala de palmeiras e até um aquário em forma de pequena caverna.
dsc_0004-2Possui uma área com mais de 52 hectares e foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), em 14 de junho de 1957, como patrimônio histórico e cultural da cidade do Rio de Janeiro. O palacete abriga, desde 1975, a Escola de Artes Visuais, gerenciada pela Secretaria Estadual de Cultura do Rio de Janeiro. Desde 2004, o Parque Lage é parte do Parque Nacional da Tijuca, sob administração do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

O Rio de Janeiro oferece a seus moradores e turistas que por aqui passam uma exuberante natureza conjugada com a modernidade de uma grande metrópole. O Parque Lage, por sua vez, possui não só seu requinte natural, ao oferecer a seus visitantes a sua bela floresta, palmeiras imperiais, jardins construídos nos moldes europeus, chafariz e bancos para um bom momento de descanso, como também o requinte e a classe de seu conjunto arquitetônico.

O Local possui, ainda, um aquário em argamassa, o qual imita pedras e troncos de árvores, pontes, bancos, quiosques e uma gruta compõem a beleza artística da obra do parque. Há caminhos de saibro que levam os visitantes a determinados locais com vegetação abundante e a um lago, este último conhecido como “Lago dos patos”.

O Parque também é um bom lugar para as crianças e para os praticantes de trilhas. Para os primeiros, há espaços com brinquedos como balanços, gangorras e escorregas e, para os desportistas, a grande atração é a trilha que leva ao Corcovado, cruzando as florestas do Parque Nacional da Tijuca.

A visitação acontece diariamente, das 8h às 17h, e é gratuita. É um dos pontos do Rio que mais gosto.