A natureza reina em Teresópolis

Localizada no interior do Rio, Teresópolis mostra, com todo seu charme, a harmonia e beleza de uma natureza bem conservada. Em toda sua extensão (repleta de rios, cascatas e rica flora e fauna), dou destaque ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos, uma unidade de conservação situada no maciço da Serra dos Órgãos, que também abrange os municípios de Guapimirim, Magé e Petrópolis.

Sem dúvidas, é um dos melhores parques do país para a prática de esportes de montanha, como escalada, caminhada, rapel e outros. O Parque tem a maior rede de trilhas do Brasil, são mais de 200 quilômetros de trilhas em todos os níveis de dificuldade: desde a trilha suspensa, acessível até a cadeirantes, até a pesada Travessia Petrópolis-Teresópolis, com 30 Km de subidas e descidas pela parte alta das montanhas.
Entre os passeios disponíveis na parte pertencente a Teresópolis, destaco as 4 trilhas que mais gostei:

  • Trilha Suspensa
    Esta famosa trip tem um caminho bem tranquilo de ser percorrido, tendo apenas 1300 metros de caminhada reta. A trilha, iniciada na Praça da Barragem, possui piso de madeira e corrimão, permitindo acesso até a cadeirantes. No trecho final a trilha atinge grandes alturas em relação ao solo (até 8 metros) e permite belas visões da floresta e dos paredões.
  • Trilha Mozart Catão
    É mais uma trilha leve , que nos leva até Mirante Alexandre Oliveira, com vista para a cidade de Teresópolis e o Parque Estadual dos Três Picos, ao fundo. Uma curiosidade é que os nomes da trilha e do mirante é uma homenagem a dois alpinistas da cidade, mortos ao tentar escalar a face sul do Aconcágua, em 1998.
  • Trilha Cartão Postal
    Esta bela trilha, com acesso pela Estrada da Barragem próximo à pousada, cruza área de floresta com belas vistas da montanha e dá acesso a um mirante voltado para a cadeia de montanhas da Serra dos Órgãos, proporcionando ao visitante um novo ângulo de observação do Dedo de Deus do meio da floresta. No caminho é possível observar algumas grandes árvores, como o jequitibá. Apesar de ter apenas 1200 metros alguns consideram esta trilha moderada, pois é uma subida constante em uma escada natural.
  • Trilha da Pedra do Sino
    A Pedra do Sino é o ponto culminante da Serra dos Órgãos com 2.275m e lá do alto a vista alcança toda a Baía de Guanabara, a cidade do Rio de Janeiro e parte do Vale do Paraíba, no lado continental. São cerca de 11 km (cinco a seis horas) de caminhada desde a sede do Parque, em Teresópolis, a 1.100 metros de altitude, até o cume. O primeiro trecho é mais leve, por dentro da mata. Na parte final, a trilha é acidentada.

Para mais informações e detalhes sobre outros passeios acessem o site do parque.

 Preços?

Quando ir?
Todos os dias, das 8h às 17h (todas as sedes). É permitida a entrada no parque entre 6h e 8h e entre 17h e 22h, mediante compra antecipada de ingressos.

Como chegar?
A entrada principal do Parque Nacional da Serra dos Órgãos fica na área urbana de Teresópolis, na Avenida Rotariana s/nº (que interliga a BR 116 Rio-Bahia, na altura do km 89,5 à cidade), com acesso bem sinalizado. A entrada do parque fica ao lado da ponte sobre o Rio Paquequer, na entrada da cidade, próximo ao Mirante do Soberbo e ao Portal da Cidade.

Na BR 116, sentido Rio-Teresópolis, na altura de Magé, existe a praça do pedágio administrado pela CRT, com cobrança bidirecional. Há cobrança de pedágio também no sentido Teresópolis-Magé-Teresópolis.

Nos canyons de Capitólio

Mais uma vez fui em busca de destrinchar ainda mais o estado mineiro. A cidade escolhida dessa vez foi Capitólio.

Mirante dos Canyons

A grande dúvida desta viagem era em como ir…??? Poderia ir de carro, de excursão, de ônibus (com bastante ajuda divina), entre outras possibilidades. Escolhi ir de excursão. Você deve está se perguntando: mas por que excursão ? (caso não esteja pule esta parte e vá direto para o roteiro).

A excursão, apesar de tirar um pouco de sua liberdade, facilita em muitos outros aspectos, pelo menos no meu ponto de vista. Além dela facilitar na hora de fazer amigos, ela também te permiti chegar descansado no lugar, ou seja, é uma ótima escolha para viagens de curto período. Depois de dirigir por 9 horas o pique para fazer uma trilha já não seria mais o mesmo, concorda? Então ir no ônibus dormindo ajudaria muito nessa parte, ainda mais se você for em um feriado, assim como eu, e não puder perder nenhum minutinho de curtição.

Voltando aos passeios…Apesar de o tempo está bem instável acabei dando muita sorte, conseguindo fazer os passeios planejados e curtindo todas as possibilidades.

No primeiro dia fomos ao Mirante dos Canyons, para garantir a foto mais famosa do lugar, logo depois fomos as cachoeiras que tem ali por perto, a menos de 200 metros de distância. Existem duas possibilidades de percurso de cachoeiras: 1 – O Circuito das Cachoeiras, gratuito, que apresenta cachoeiras belíssimas e com estruturas um pouco mais rudimentares; 2 – O Circuito das Três Cachoeiras que custa R$5,00 e não tem cachoeiras tão impactantes, porém, lhe dá a oportunidade de acampar no local.

O segundo dia, foi dia de explorar a Trilha do Sol. A trilha cercada por diversas belezas naturais nos dá a possibilidade de conhecer três lindas cachoeiras: Cachoeira No Limite, Poço Dourado e Cachoeira do Grito. A do grito é a mais interessante para passar mais tempo, por se tratar de uma cachoeira maior e com maiores atrativos. Dica: existe um ponto das pedras desta cachoeira que as pessoas utilizam para ficar pulando no poço, ótima dica de brincadeira para que não tiver medo de altura e souber nadar.

Deixamos o passeio de lancha pelo Lago de Furnas para o terceiro dia, para fechar com chave de ouro. O passeio, ao som do “batidão carioca”, é bastante divertido devido a grande quantidade de cachoeiras que vão sendo encontradas pelo caminho e, principalmente, pelas manobras da lancha sobre uma água cristalina.

Passeio de lancha pelo Lago de Furnas

A viagem foi rápida mas muito intensa. Conheci muita gente boa, que vou guardar pra sempre na memória. Me diverti muito em todos os momentos, inclusive à noite que não tinha muita coisa para fazer por lá. Por isso que eu sempre repito: o lugar pode ser incrível (como realmente é), mas quando a companhia é boa tudo fica ainda melhor!